A alimentação saudável nas empresas é algo de extrema importância, tanto para o empregado quanto para o empregador. A boa alimentação é o combustível para manter a disposição e a concentração nas tarefas do dia a dia, além de refletir diretamente na saúde e bem-estar.

O Brasil conta com índices alarmantes de obesidade. Na média geral, segundo a PNS 2019, 29,5% das mulheres têm obesidade — praticamente uma em cada três — contra 21,8% dos homens. O sobrepeso, por sua vez, foi encontrado em 62,6% delas e em 57,5% deles. O sobrepeso, por sua vez, chega ao absurdo de estar presente em 54%. Tudo isso desencadeia doenças crônicas.

A obrigação legal de uma empresa é oferecer qualidade e segurança na infraestrutura e nas condições de trabalho, mas cuidar da saúde é também uma forma de almejar o desenvolvimento e a produtividade da organização e seus colaboradores, um benefício recíproco para os dois lados.

A alimentação saudável nas empresas traz inúmeros benefícios, além de prevenir o risco de doenças, inclusive as laborais. Ela traz mais energia à rotina do trabalhador, aumenta a autoestima, eleva o humor, auxilia na concentração e diminui os níveis de estresse.

Colaboradores motivados, com alto desempenho e engajados em suas atividades diárias são o sonho de qualquer empresa. Mas engana-se o gestor que pensa que apenas um ambiente propício e planos de carreira influenciam nesses fatores. Existem aspectos que afetam a produtividade de alguma maneira, mesmo que indiretamente. É o caso da alimentação saudável no trabalho. Em razão disso, é fundamental que gestores incentivem hábitos saudáveis de sua equipe.