Trabalhadores podem, em muitos casos, passar mais tempo no ambiente de trabalho do que em casa, tornando a jornada de trabalho exaustiva e podendo resultar em doenças ocupacionais à longo prazo. Para manter a qualidade do trabalho, é preciso que o trabalhador esteja com a saúde em dia. É essa a função da fisioterapia do trabalho: prevenir, resgatar e manter a saúde do trabalhador.

Pela lei NR4 uma empresa não tem obrigatoriedade de ter um fisioterapeuta do trabalho em conjunto com outros profissionais de saúde. No entanto, as empresas que possuem um profissional específico em funcionalidade humana conjuntamente com outros profissionais da saúde obtêm significativas vantagens.

Aspectos como biomecânica, ergonomia, atividade física laboral e recuperação de queixas ou desconforto físicos estão entre os elementos trabalhados pela fisioterapia do trabalho.

O fisioterapeuta também é responsável por desenvolver programas que previnem acidentes, além de prestar consultoria e realizar a readaptação do funcionário afastado que retorna ao trabalho. Durante a prevenção, é função dos fisioterapeutas incentivar os empregados a adquirir novos hábitos de vida e adquirir uma consciência corporal, gerando um bem estar físico e emocional no ambiente de trabalho.

Dentre as doenças ocupacionais mais comuns hoje em dia, a maioria está diretamente relacionada à falta de ergonomia no trabalho, doenças ocupacionais como a Lesão por Esforço Repetitivo (LER), Estresse, Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORTs) e Surdez (Temporária ou permanente).

Um investimento em melhorias no ambiente de trabalho e nos instrumentos utilizados é indispensável para uma boa qualidade de vida do trabalhador, o uso da ergonomia e terapias preventivas contribui para uma diminuição do cansaço e tornam eficientes os procedimentos que tem como objetivo evitar lesões ao trabalhador.